Entenda um sistema básico de som automotivo

Entenda um sistema básico de som automotivo

O som automotivo tem tantas pessoas empolgadas por ele quanto são pelo próprio automóvel. Os sistemas modernos são cada vez mais otimizados para que tudo caiba em pouco espaço e tenha um baixo custo, o que, muitas vezes, compromete a qualidade sonora, apesar de alguns modelos de veículos já saírem de fábrica com um som “premium”.

Explicar o funcionamento do som automotivo pode parecer algo bastante complicado no início, mas, na verdade, existem apenas três componentes básicos que todos os sistemas devem incluir.

Quer saber quais são? Continue a leitura!

A Unidade Principal do som automotivo

No coração de cada sistema de áudio de carro existe um que, normalmente, é designado como unidade principal.

A maioria das pessoas se refere a esse componente como um rádio ou um aparelho de som, que são termos tão precisos ou que não são capazes de descrever tudo que essa unidade pode fazer.

Além de atuar como os cérebros do sistema de áudio e sintonizando rádios, atualmente as unidades principais conseguem reproduzir arquivos de formatos diversos, se conectar a outro dispositivo via bluetooth ou wi-fi, e até mesmo reproduzir vídeos em alguns casos, como nos aparelhos mais modernos que possuem recursos de entretenimento e localização em suas telas.

O Amplificador

Um amplificador é o segundo componente mais importante na hierarquia dos sistemas de som automotivo.

Enquanto o propósito de uma unidade principal é fornecer um sinal de áudio, o objetivo de um amplificador é aumentar a potência desse sinal. Sem um amplificador de potência, o sinal de áudio será muito fraco para mover fisicamente os alto-falantes e provocar a emissão do som.

Os sistemas de áudio do carro mais simples têm apenas uma unidade principal e quatro alto-falantes, mas isso não significa que não há um amplificador no conjunto. Esses sistemas possuem um pequeno amplificador de energia dentro da unidade principal.

Uma vez que o espaço é reduzido em muitos modelos de carros e caminhões, normalmente, é necessário combinar a unidade principal e o amplificador em um único componente.

Alguns sistemas de áudio originais de fábrica incluem amplificadores de energia separados da unidade principal. No entanto, a instalação de um novo amplificador nem sempre proporcionará uma enorme melhoria na qualidade do som.

Tudo depende do projeto realizado para essa finalidade, e isso envolve diversos outros componentes.

Os alto-falantes

Os alto-falantes compõem as peças finais do quebra-cabeça básico do som automotivo. A maioria dos sistemas de áudio de carro tem, pelo menos, quatro deles, mas existem muitas configurações viáveis ​​diferentes.

Quando um alto-falante recebe um sinal de áudio de um amplificador, a energia elétrica do sinal é convertida em energia mecânica, que faz com que um cone se mova para frente e para trás. Essa vibração desloca o ar, que é o que cria as ondas sonoras que ouvimos.

Ao contrário dos sistemas de áudio domésticos que possuem woofers pequenos, tweeters e alto-falantes de gama média, o áudio do carro, geralmente, faz uso de alto-falantes de “gama completa”, ou seja, todos os componentes em apenas uma peça.

Isso economiza espaço, é claro, mas um alto-falante de gama completa tipicamente não pode oferecer a mesma qualidade de som em que cada componente é equalizado e possui sua função de forma separada.

 A substituição de alto-falantes de gama completa por componentes dedicados é uma das principais razões pelas quais as pessoas investem na troca do som automotivo.

É claro que existem muito mais detalhes a serem abordados, mas o funcionamento básico do som automotivo se baseia na unidade principal que controla as funções disponíveis, o amplificador de sinal e os alto-falantes.

Deseja manter-se sempre atualizado a respeito dos acessórios automotivos? Não deixe de assinar a nossa newsletter!

Sem comentários

Cancelar