Seu carro é rebaixado? Saiba quais os cuidados que você deve tomar

Seu carro é rebaixado? Saiba quais os cuidados que você deve tomar

De fato, A arte de modificar os próprios carros — desde o começo do século XX, com os populares e metódicos modelos Ford T — têm mais a ver com um estilo de vida dos donos do que apenas com uma questão estética, propriamente dita.

Contudo, na hora de escolher quais componentes farão parte do seu carro, para dar aquela personalizada e diferenciá-lo dos demais, é preciso identificar uma série de decisões internas e externas do que será feito no veículo. Desde que sejam viáveis, é claro.

Além da pintura, do som automotivo ou do sistema de faróis, muitos apaixonados por tuning investem o seu dinheiro para deixar o carro rebaixado. Mas nem todos estão atentos aos principais cuidados! Por isso, confira a seguir algumas dicas sobre o assunto:

Coloque poucas pessoas no carro

Você já deve ter visto muitas saídas de garagem por aí com a rampa bem irregular, de que, normalmente, um carro comum precisa sair lentamente. Imagine, então, com um carro rebaixado!

O cuidado deve ser maior, por isso, nessa hora de sair é recomendável ter apenas o motorista dentro do carro. Aliás, essa questão do peso nesse tipo de tuning é algo que merece mesmo atenção.

Dependendo do número de pessoas que estiverem com você, e tendo em vista o nível das ruas e estradas no país, o seu carro poderá apresentar problemas consideráveis na suspensão se não houver cuidado.

Reduza nas lombadas

Ter um carro modificado nesse nível requer atitudes diferentes por parte do motorista. Então, se você está acostumado, principalmente em bairros mais isolados e tranquilos, a passar nas lombadas como se não houvesse amanhã, esqueça isso imediatamente!

Essa questão da velocidade já deve ser prioridade em sua vida, principalmente para não levar multas desnecessárias. Na lombada, a recomendação é reduzir bem antes — isso vai evitar que a carroceria empene, e que a suspensão seja sobrecarregada.

Verifique o seguro veicular

Muitas pessoas têm dúvidas quanto a esse quesito porque, devido às alterações feitas no carro, fica difícil conseguir acertar um seguro total do veículo. Várias empresas do ramo até aconselham que o usuário não faça tais modificações, que podem aumentar as chances de se sofrer um acidente.

Justamente por isso, é interessante, antes de fazer qualquer personalização, verificar quais são as políticas das seguradoras para não ter dores de cabeça no futuro. Lembre-se: mesmo que você esteja com a sua documentação em dia, boa parte das empresas de seguro não vão cobrir os sinistros de carros rebaixados.

Realize manutenções constantes

Você sempre deve ficar de olho no comportamento do carro após as customizações e contar com profissionais qualificados para, em caso de problemas, dar o devido suporte. A preocupação com a suspensão do carro, por exemplo, precisa ser constante depois da tunagem — afinal, o seu veículo estará mais perto do chão, suscetível ao asfalto irregular.

Inclusive, com personalizações como essas, é comum que os carros apresentem pulos constantes. Por isso, independentemente do método que você escolheu para rebaixar seu carro, é necessário colocar amortecedores esportivos para fazer a adequação com a mola e dar um pouco de suavidade ao conduzir o carro.

Bom, para finalizar, é importante reforçar que você deve tomar muito cuidado com a velocidade, principalmente para que não haja contratempos com o amortecedor e se torne um risco iminente.

Além disso, preste atenção no que determina a lei e no que está descrito nas resoluções 291 e 292 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN).

Enfim, o que achou das nossas dicas para carro rebaixado? Gostou do texto? Então aproveite para compartilhá-lo nas suas redes sociais para que os seus amigos também fiquem ligados!

Sem comentários

Cancelar